AMSTERDAM TRAVEL DIARY

- País: Holanda
- Moeda: Euro (EUR)
- Língua: Holandês
- Capital: Amsterdão
- Fuso horário: GMT + 01:00

Outubro, 2016

Chegámos a Amsterdão por volta das 9h da manhã por isso tivemos o dia todo para explorar e, por incrível que pareça, estava um dia espetacular cheio de sol. Estava imenso frio mas não ter chuva é ouro sobre azul. Pois, eu adoro andar a pé quando estou de viagem e estar bom tempo é crucial. 

Assim que cheguei ao centro da cidade fiquei encantada. É tudo muito bonito, o facto de a cidade ser sobre a água torna-a mágica, flores por todo o lado, bicicletas a passar por nós a cada segundo a tocarem à campainha para nos desviarmos, as casas são amorosas, enfim, achei uma cidade muito amorosa. Como se costuma dizer, Amsterdão é uma aldeia fora de controlo e parece mesmo, as cores das casas, a arquitetura e tudo mais remetem-nos para isso mesmo, uma aldeia. 

O primeiro dia foi super divertido. Visitámos a praça Dam, onde se encontra todo o tipo de lojas e comércio, tudo o que se procura ali existe. Estava, também, a haver uma feira popular na praça, com carrosséis, cores e doces por todo o lado. Fizemos o clássico passeio pelos canais, o que recomendo imenso, pois ficamos a conhecer a cidade toda. Terminámos a tarde no Madamme Tussauds para nos divertimos um pouco e que belas duas horas que passámos ali, parecíamos uns miúdos.

Jantámos numa pizzaria super gira ali perto e fomos ao casino. A última paragem foi a Red Light, impossível não ir. Que ruas estreitas! O ambiente é, maioritariamente, de curiosidade mas, ainda assim, havia imensa gente a entrar nas montras. Como é lógico, fotografias não são permitidas. 

No segundo dia fomos conhecer o mercado das flores e outro mercado típico que acontece uma vez por mês ou algo do género. O mercado das flores é giro mas nada de especial. E sim, trouxe sementes para plantar tulipas, clássico!

Almoçámos num restaurante à base de brunch americano, também muito giro (já fiz de tudo para me tentar lembrar do nome e não consigo por isso se alguém souber que vá dizendo, pode ser que acerte).

Visitámos o museum plein e ao final da tarde fomos ao conhecido rooftop do Hotel Hilton, lindo, a vista para a cidade é brutal. Andámos pela cidade a conhecer tudo o que de bonito havia por lá. Visitámos a central station e claro, o Vandel Park. 

Nesta viagem o que mais me marcou foi, sem dúvida, a visita à casa da Anne Frank!! Que coisa arrepiante. Nunca pensei sentir algo tão intenso depois de entrar naquele sótão, não tenho palavras nem me quero alargar pois acho que não existem palavras para descrever e só quem lá foi entende o que digo. 

Esta foi a viagem que mais bares visitámos. O João tinha lá imensos amigos portugueses a trabalhar, então as noites foram super animadas como devem calcular. O bar que mais gostei foi do Hotel Waldorf Astoria. Top! Cocktails geniais, não fossem eles criados pelo nosso grande amigo Wilson Pires génio da industria do bar.

Apesar da cidade não ter assim tanta coisa para se ver apetece parar em todos aqueles cafés à beira dos canais com esplanadas super giras e amorosas, tirar mil fotografias e comer waffles e as típicas batatas fritas com molho todo o dia!

Apesar de ter gostado, Amsterdão não ficou no meu coração e acho que o motivo para isso ter acontecido foi o tempo. Só no primeiro dia é que esteve sol. Apanhámos imensa chuva, andámos encharcados e sempre a correr. Na minha opinião isso estraga qualquer mood. 

Por esse motivo, quero dar uma segunda oportunidade e visitar novamente a cidade. 

PS: Não ficámos em nenhum hotel. Ficámos na casa de um amigo.

PS 2: Não fumámos nem experimentamos nada estranho ahahaha







Sem comentários

Publicar um comentário

Professional Blog Designs by pipdig